AMB DEBATE A HUMANIDADE POR TRÁS DA PRÁTICA MÉDICA

http://estamosaovivo.com.br/humanidade/

Confira abaixo a programação:
11h às 11h15 – Abertura
Coordenação:
Lincoln Lopes Ferreira – Presidente da Associação Médica Brasileira
Robson Freitas de Moura – Vice-Presidente da Associação Médica Brasileira

Moderação:
Antonio Carlos Palandri Chagas – Diretor Científico da Associação Médica Brasileira

Palestras:
11h15 às 11h35 – O médico, a ciência e o vírus SARS-Cov-2
Wanderley Marques Bernardo – Coordenador do Projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira

11h35 às 11h55 – Medicina baseada em evidências, tecnologia e humanidade
Marcus Vinícius Bolívar Malachias – Representante da Sociedade Brasileira de Cardiologia

11h55 às 12h15 – Estresse: da saúde à doença em situações de crise
Carmita Abdo – Diretora da Associação Médica Brasileira

12h15 às 12h30 – Debate
12h30 às 12h40 – Encerramento

AMB LANÇA PESQUISA PARA CONHECER O PERFIL DA CLASSE MÉDICA BRASILEIRA


Com o objetivo de conhecer a realidade da classe médica e traçar um perfil dos médicos e das médicas que atuam no País, a Associação Médica Brasileira (AMB) acaba de lançar mais uma pesquisa: a HOPE-MED. O levantamento está sendo realizado em parceria com o Instituto Ipsos,
líder global em pesquisa de mercado.
Com o mote “Nem mágicos, nem heróis. Médicos e Médicas” o estudo foi pensando para conhecer esses profissionais que enfrentam diariamente desafios e adversidades para salvar vidas. A pesquisa foi elaborada pela diretoria da AMB: Lincoln Ferreira, presidente da AMB; Robson Moura, 2º vice-presidente; Antônio Carlos Palandri Chagas, diretor Científico; Carmita Abdo, diretora; Wanderley Bernardo, coordenador do Projeto Diretrizes; com a colaboração de Marcus Bolivar Malachias, professor da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais. O estudo tem o apoio da Novartis
Reimagining Medicine.
Os dados serão levantados por meio de pesquisa online, que poderá ser acessada pelo site https://pt.research.net/r/amb20.

Nele, o entrevistado não gastará mais do que 10 minutos para
chegar ao final do questionário de respostas, que estará disponível até o dia 24 de novembro.
“Contamos a participação maciça da classe médica. Os resultados serão importantes para o desenvolvimento de políticas em favor da própria classe. Além da credibilidade do Instituto Ipsos, responsável por garantir total segurança e integridade das informações fornecidas, garantimos total
confidencialidade dos dados pessoais dos entrevistados”, pontua Lincoln Ferreira.
Os resultados da HOPE-MED serão divulgados no dia 04 de dezembro.
Participe!

PESQUISA AVALIA IMPACTO DA PANDEMIA NA VIDA DOS MÉDICOS

A Associação Médica Brasileira (AMB) e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) se uniram para realizar a pesquisa PSYQUALY-COVID, um estudo que vai avaliar o impacto da pandemia no dia a dia dos médicos. O resultado da pesquisa vai nortear as ações das entidades médicas em prol dos médicos.

O objetivo da PSYQUALY-COVID, direcionada exclusivamente para os médicos, é avaliar o psicotrauma, a resiliência e a qualidade de vida dos médicos brasileiros durante a pandemia de COVID-19, tendo como justificativa a necessidade de se conhecer os reflexos desse contexto na saúde desses profissionais.

Marcus Bolívar Malachias, coordenador da pesquisa e professor da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, pontua que são muitas as condições que podem afetar a qualidade de vida e o equilíbrio emocional desses profissionais. “Como a possibilidade de dano moral, a preocupação com a responsabilidade legal, o temor de exposição de membros da família vulneráveis à infecção, e até as transferências de locais de trabalho para atuar em ambientes não habituais. Todos esses pontos são avaliados no estudo”, aponta o cardiologista.

“O estudo está sendo enviado para os médicos de todas as especialidades e de todo o Brasil. Contamos com a participação de todos, independente se estejam envolvidos diretamente ou não no atendimento dos pacientes com COVID-19”, explica Lincoln Ferreira, presidente da AMB.

Segundo Marcelo Queiroga, presidente da SBC, “embora já existam algumas pesquisas sendo realizadas sobre o tema, a PSYQUALY-COVID foi estruturada com todo o rigor científico, utilizando questionários estruturados e validados para fazer o mais amplo diagnóstico do impacto psicossocial da pandemia sobre os médicos do país.”

Os resultados da pesquisa deverão ser publicados no fim desse ano.

Acesse a pesquisa no link :

https://cardiol.typeform.com/to/g74z9E8k

Participe, sua contribuição é muito importante!

Clique e veja a Importância da Titulação

No Brasil a Lei Nº 3.268, de 30 de setembro de 1957, estabelece que o médico portador de registro no Conselho Regional de Medicina está habilitado a realizar qualquer procedimento médico, independente da especialidade, complexidade e repercussões clínicas.

Com o avanço técnico e científico da medicina se faz necessário o aprofundamento nas especialidades em que atuamos, para desenvolver uma maior competência, e atuar com maior segurança e responsabilidade ética e civil nos atos médicos realizados. A Residência Médica e o Título de Especialista constituem a forma oficial de reconhecer o profissional médico com formação acadêmico-científica adequada e apto a exercer uma especialidade com ética, responsabilidade e competência.

O Título de Especialista somente pode ser emitido pela Associação de Especialidade formalmente ligada à Associação Médica Brasileira (AMB) e o processo de avaliação e concessão do Título deve atender às exigências estabelecidas no convênio firmado pela AMB e Conselho Federal de Medicina e na Normativa de Regulamentação para Obtenção de Títulos Especialista da AMB. A Resolução CFM Nº 2.221/2018,  atualiza  a  relação de  especialidades  e  áreas  de  atuação  médicas  aprovadas pela Comissão Mista de Especialidades, dentre as quais a Medicina Legal e Perícias Médicas.

A Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícia Médica é o órgão oficialmente autorizado a conceder o Título de Especialista. A obtenção do Título representa a conquista do reconhecimento oficial da formação e habilitação especializada do médico, cujas repercussões profissionais têm-se tornado cada vez mais evidentes com a crescente valorização do Título pelos diversos setores que demandam perícia judicial e administrativa e pela sociedade de um modo mais amplo.

Com a posse do Título de Especialista em Medicina Legal e Perícia Médica o médico pode se inscrever no Registro de Qualificação de Especialista – RQE do Conselho Regional de Medicina de sua área de atuação.

Convidamos os médicos que atendam às condições descritas no edital a participar da prova de Título de Especialista no próximo dia 14/12/20, com a expectativa de que tenhamos cada vez mais colegas titulados para contribuir na ampliação e intensificação das atividades técnicas e científicas da Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícia Médica para o fortalecimento e crescimento qualificado da nossa especialidade médica.

Diretoria

ABMLPM

Clique Aqui – Nota de Esclarecimento

  1. Em momento algum fomos convidados a participar de reuniões conjuntas com o Conselho Federal de Medicina, Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Subsecretaria de Perícia Médica Federal e ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho), a respeito de determinação do Tribunal de Contas da União (TC 033.778/2020-5) tendo como tema a validação da perícia médica utilizando a telemedicina;
  2. Vídeo veiculado pela Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) nas redes sociais foi mal interpretado por alguns como se a ABMLPM houvesse “abandonado” a ANMP nesse processo de luta que é específico dessa categoria, mas afeta, não só todos os peritos de outras áreas, como a própria Medicina como um todo. A esse respeito, o próprio presidente da ANMP nos informou do mal-entendido;
  3. Desse modo, voltamos a reiterar, mais uma vez, que a ABMLPM como entidade científica que congrega todos os peritos do Brasil e é a lídima representante da Medicina Legal e Perícia Médica junto à Associação Médica Brasileira; voltamos a reiterar que, do ponto de vista científico, a perícia médica se traduz como um ato médico completo, que jamais prescinde do exame pessoal e in loco do periciando. Ainda mais quando se trata de estabelecer capacidade ou incapacidade do indivíduo, bem como nexo de causalidade entre essas condições e algum dano corporal sofrido por qualquer origem. A perícia médica avalia o periciando como um todo, como um ser uno e indivisível e, assim, torna-se impossível (salvo condições especialíssimas, que não enxergamos nesse caso) qualquer avaliação a distância, correndo-se ainda mais o risco de fraude em todo o processo, cujo ônus, obviamente, recairia sobre o perito;
  4. Por fim, salientamos que existem normativas éticas a respeito do assunto, emanadas do Conselho Federal de Medicina após intenso debate na Câmara Técnica de Medicina Legal e Perícia Médica desse órgão fiscalizador da profissão médica (Resoluções 03/2020 e 10/2020) que tornam a execução da perícia por telemedicina uma infração ética importante, recaindo sobre o perito mais uma vez a responsabilização ética-administrativa por tal ato;
  5. Para encerrar gostaríamos de deixar explícito nosso apoio às posições defendidas pela Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) nessa questão, posto que encontra respaldo tanto na ciência quanto na ética médica. Somos solidários com os segurados do INSS que necessitam de seus benefícios para sobrevivência, porém não achamos justo que se responsabilize toda uma categoria médica por atrasos alheios à vontade dos peritos e, muitas vezes, decorrentes de problemas de gerenciamento. De nossa parte, continuaremos nossa luta, para que os ditames da ciência e da ética médica sempre prevaleçam acima de qualquer polêmica existente.

São Paulo, 11/11/2020 – A DIRETORIA

Manual Prático de Fotografia Forense – com casos comentados.

Esta obra proporciona conhecimentos diferenciados sobre a documentação fotográfica forense, com a descrição e orientação dos procedimentos harmonizados, de forma prática, para o registro fotográfico das perícias. Constituindo-se como suporte pedagógico à capacitação voltada a valorização de competências em fotografia forense para todos os profissionais da segurança pública, permitindo que apresentem um produto final de qualidade em suas perícias e, que garanta a fiabilidade da prova material do delito. Aqueles que tenham curiosidade ou desejem aprofundar conhecimentos encontrarão o que de mais útil se pratica nesta área. A mais valia desta obra é mostrar como deve ser capturada uma fotografia, enquanto procedimento fundamental da perícia médico-legal, uma vez que o valor deste tipo de prova depende da qualidade e segurança da mesma.

Além dos fundamentos da fotografia forense, o livro também apresenta casos reais de autópsias forenses, realizadas no Instituto Médico Legal de Porto Velho, que foram documentadas utilizando os princípios ensinados no livro, assumindo-se, assim, de interesse transversal para estudantes e profissionais das mais diversas áreas.

Estes fundamentos também poderão ser utilizados para documentação fotográfica nas perícias em pessoas vivas para documentação dos danos corporais.

O preço do exemplar no PRÉ-LANÇAMENTO é R$ 67,86 (20% off). O lançamento oficial está previsto para Fevereiro/2021, na sede do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia, às 19h.

Caso alguém fique interessado em conhecer mais detalhes do livro pode acessar o meu website Lex Artis Medicaou diretamenteno link do livro: https://valente-aguiar.med.br/livros/ e, se alguém quiser adquirir um exemplar, com o preço promocional, pode acessar o link do PagSeguro: https://pag.ae/7WxtSrU6a